Nível de água da Barragem de Juramento sobe mais uma vez

Represa opera com 36,78% de sua capacidade, nível superior ao do mesmo período em 2017. O nível da barragem de Juramento, responsável pelo abastecimento de água de 70% das casas montes-clarenses, subiu. De acordo com a Copasa, está com 36,78% da capacidade máxima. No mesmo período de 2017 a represa estava com 33,1%.

Segundo José Porciano Neto, técnico de meio ambiente e recursos hídricos da Copasa, o nível da represa aumentou pouco, mas já é considerado satisfatório, uma vez que muda o cenário em relação ao ano passado, de extrema estiagem.

“Há cerca de três anos a represa convive com nível baixo de água. A bacia hidrográfica na região de Juramento é formada por três rios, a precipitação até o momento foi de 377,2 mm. Na cidade pode ter chovido mais. As pessoas veem Montes Claros com muitas chuvas enquanto aqui, às vezes, não está chovendo quase nada”, esclarece José.

Em novembro de 2017, o local atingiu o mais baixo nível desde que a estrutura foi construída, com apenas 13,36% da capacidade total. Para a aposentada Lúcia Neves, que reside no bairro Santa Eugênia, as chuvas que têm caído na cidade tem significado de esperança.

“Temos que ter fé, estamos há muito tempo esperando que chova bastante para por fim a essa seca que tem castigado a nossa cidade”, diz a aposentada.

O comerciante Henrique Souza, morador do Barcelona Park, bairro onde o abastecimento ficou comprometido porque é uma das localidades de maior altitude no município, diz que é importante a população se conscientizar para o uso correto da água.

“Os cidadãos têm que economizar e não desperdiçar. Eu vejo com frequência pessoas no bairro Ibituruna despejando água das piscinas nas ruas e até mesmo lavando lama da rua com mangueira. É inadmissível aceitar uma pessoa agir desta maneira sabendo que o reservatório ainda não recuperou e tem bairros altos, como o meu, que ficam sem abastecimento. Teve época do caminhão-pipa da Copasa te ir nas casas porque a água não tinha pressão para subir até a caixa”, relata Henrique.

Mesmo com o nível da barragem subindo, o racionamento de 48 horas na distribuição de água permanece. Somente quando o nível de água no local atingir 40% poderá ser realizado um estudo para ver as possibilidades do rodízio ser reduzido para 24 horas.

fonte:hojeemdia

Pin It